Reforço no AEE ou AEE no reforço? Entenda a diferença e não cometa esse erro

Reforço no AEE Instituto Itard

Reforço no AEE existe? Olha, quando um aluno com desenvolvimento típico tem dificuldade na matéria, o que a escola oferece para ele?

As boas escolas oferecem o que?

Isso mesmo: reforço escolar!

Há escolas comuns que oferecem grupos de reforço escolar para alunos com dificuldades na aprendizagem, que passam por dificuldades emocionais (separação dos pais, por exemplo) ou que faltaram durante período significativo. Esses grupos podem ser chamados de reforço escolar, aceleração, apoio pedagógico, laboratório ou outros nomes.

Se o meu aluno está tendo dificuldade em matemática, em tabuada, vamos criar uma classe, uma sala de aula de reforço de tabulada.

E quem vai ministrar essa aula? O professor de matemática, é claro.

As aulas ministradas nestes grupos são de responsabilidade de um professor regular, ou seja, sem especialização em Educação Especial.

Se o aluno está tendo dificuldade em química, vamos criar uma classe especial para todos os alunos que têm dificuldade em química. Quem vai ministrar essa aula? O professor de química.

Mas Leandro, meu aluno tem deficiência, e agora?

Tudo bem o aluno ter deficiência, o tratamento é o mesmo basicamente.

Meu aluno com deficiência está tendo dificuldade em que?

Ah, o meu aluno com deficiência está tendo dificuldade em matemática, tabuada.

Você junta todos os alunos da escola que estão tendo dificuldades em tabuada, junto com o aluno com deficiência e coloca na aula de reforço de matemática.

O objetivo do reforço é ensinar, no contraturno, conteúdos do ensino comum: reconhecimento de letras, alfabetização, ortografia, pontuação, reconhecimento de números e quantidades, entre outros.

Isso não é atendimento educacional especializado, percebe?

Isso é reforço escolar. Totalmente diferente de atendimento educacional especializado ou Reforço no AEE.

Mas o atendimento educacional especializado, Leandro, ele atua onde?

Ele atua na educação básica como um todo. O reforço escolar está dentro da educação básica.

Então o aluno que está fazendo reforço, ele está dentro da escola, e o AEE pode ajudar esse aluno dentro do reforço, eliminando as barreiras dentro daquela sala de aula.

As barreiras podem ser materiais que necessitam de adaptação, barreira de comunicação, recursos de comunicação alternativa, material adaptado em braille, intérprete de LIBRAS, qualquer outro recurso adaptado, ou flexibilizado que o aluno precise, dentro do reforço, porque?

Porque ele tem dificuldade em um componente curricular.

O professor dentro da sala de aula regular não está conseguindo dar atenção necessária para aquele aluno aprender aquela matéria, então cria-se um reforço, uma aula de reforço, um tempo de reforço. Juntamos todos os alunos que estão tendo dificuldade naquela matéria em específico.

Por que isso? Porque alunos tem dificuldade, é normal. Não só com deficiência, sem deficiência também.

O aluno com deficiência não precisa ter uma aula de reforço sozinho, ele pode participar de um reforço inclusivo, junto com as outras pessoas que têm dificuldade naquela matéria também.

Já o Atendimento Educacional Especializado acompanha esse aluno seja aonde ele for, qualquer lugar. Inclusive, o AEE pode em parceria com o professor regente, encontrar estratégias de aula mais atrativas e persuasivas, que irão proporcionar maior aprendizado e retenção do conteúdo proposto, uma vez que o professor do AEE tende a conhecer mais profundamente particularidades do aluno com deficiência e o professor regente conhece mais profundamente o seu componente curricular.

Resumindo. O aluno está na sala de aula regular? O AEE acompanha esse aluno. O aluno está na aula de reforço, o AEE está acompanhando esse aluno também.

Isso não é reforço no AEE.

É AEE no reforço.

Mas lembre-se: o AEE não é reforço: as atividades de reforço escolar (também chamadas de apoio pedagógico) devem ser oferecidas a qualquer estudante que possa se beneficiar delas, tenha ou não uma deficiência.

O que você acha disso? Comente aqui!

Abraços inclusivos!

Leandro Rodrigues

Eu sou Leandro e acredito que as pessoas podem evoluir muito além dos rótulos, estigmas e preconceitos. Todos podem aprender. Esp. em Educação, Diversidade e Inclusão Social. Formação inicial em Ciência da Computação. Fundador do Instituto Itard e criador do curso Adaptando Atividades para Alunos com Deficiência.

48 thoughts on “Reforço no AEE ou AEE no reforço? Entenda a diferença e não cometa esse erro

  1. Sandra Paiva Saturnino says:

    Penso desta mesma maneira, Leandro. Inclusive faço parte de grupo de apoio e estou no curso de educação inclusiva, especialização em AEE.

    • Iramaia Barbosa de Almeida says:

      Sempre atuei no AEE. Minha grande preocupação era essa e continua sendo. No início trabalhávamos dentro de um centro e hoje em salas de recursos. E me preocupa muito quando percebo professores do AEE, trabalharem com os alunos , repetindo a atuação do professor de reforço. Faz-se necessário que os cursos de formação em AEE se preocupem com esse direcionamento, ou acabaremos perdendo todo esse trabalho maravilhoso!!

  2. Albanize says:

    Boa tarde, Leandro!!
    Quanta diferença entre reforço escolar e AEE!!sso precisa estar bem claro para a equipe gestora, para que o direito à aprendizagem seja garantido de fato.
    Nunca havia refletido sobre isso. Muito obrigada!

  3. Eliude Castro Souza says:

    Sim, o AEE acompanha o aluno para completar ou suplementar as necessidades de cada um. Elabora recursos, estratégias, plano individualizada de acordo com as peculiaridades dos educandos.

  4. Valéria says:

    Uma dúvida este AEE é a escola que oferece ou são os pais da criança que contrata?
    E o profissional fica de acompanhante da criança durante a aula?

  5. Valéria says:

    Uma dúvida… O AEE é a escola que oferece ou os pais da criança é que contrata?
    O profissional fica durante toda a aula acompanhando a criança ?

      • paula_thaylor says:

        Tendo em vista que o AEE é feito no turno oposto. Quem deve acompanhar este aluno em sala regular? Pois percebo em muitas escolas a presença de estagiários que não tem o preparo e conhecimento para estar auxiliando muitas vezes no que realmente o aluno precisa, diante do desafio pedagógico…

  6. Rosangela says:

    Gostei muito da explicação.
    Infelizmente esse tipo de assistência a criança com algum tipo de deficiência, não acontece nem em escolas particulares.
    Seria muito bom ter esse tipo de ajuda em sala de aula

  7. Marivânia Martins Mendes says:

    É maravilhoso a forma como vc se expressa acerca da dinâmica de ajudar o aluno com deficiência. ENTRETANTO, os professores regentes criam uma ilha ao redor desse aluno, como se ele tivesse uma doença contagiosa,evitando criar vínculo com esse público. O assistente individual é quem o acompanha ao longo do processo de sua aprendizagem.

  8. Adriana Gomes Saraiva says:

    Maravilhosa explicação. Cada aluno é único. Se tem dificuldade em matemática, creio que devesse ser avaliado: professor regular, junto com apoio e AEE, um professor formado na área especial. Não juntar todas as crianças com dificuldades diversas em matemática para ter aulas de reforço por um professor de matemática.

  9. Marlene Gomes Ferreira says:

    Amei o texto só quero ver é se o governantes adote a causa.Ai sim tem o diferencial.Caso contrario só o professor ,isso é complicado para acontecer.

  10. Natalina says:

    Muito bem, Leandro. Eu como pedagoga já fui muito questionada pela instituição em que trabalhava por não está ajudando o professor a dar aulas de reforço para alunos com dificuldade de aprendizado. Eu tinha que tirar horas do meu horário como pedagoga para tomar leituras de alunos. Tinha que montar plano de reforço para estes alunos e os professores também. Isto é correto?

  11. Luciene says:

    A aluna que eu acompanho da inclusão, recebe o meu reforço pedagógico, junto com a professora regente, e a especialista no laboratório de recurso! Essa aluna tem um ótimo acompanhamento nas disciplinas com dificuldades de aprendizagem!!!

  12. Hercilia says:

    O texto está ótimo e os conceitos bem definidos. As atividades de reforço e as atividades trabalhadas na sala de AEE tem objetivos diferentes. Concordo com você.

  13. cibelemachadoferreia@gmail.com says:

    Boa noite! Gostei muito da matéria ! Obgda por esclarecer ,vou verificar na escola da minha filha ! Ela é Síndrome de Down e frequenta o AEE!

  14. Marineide says:

    Muito bem! Assim entendo que é para funcionar o AEE. Estou aprendendo muito nessa quarentena. Acredito que quando retornarmos…seremos pessoas melhores! Ocorreu um caso na minha escola…um aluno com dislexia…foi informado para a equipe de avaliação sobre a necessidade da avaliação oral. O avaliador não permitiu a minha presença na sala. Então, falamos sobre a especificidade da criança. Passamos umas instruções…e no final ele reconheceu que realmente o aluno só precisava de ajuda para ler a prova e que era capaz de responder oralmente. Gostaria que todos os meus colegas de trabalho estivessem no ITARD.

  15. Sirrame Costa araujo says:

    Acredito tanto atendimento Educacional Especializado quanto Educação devem devem ser oferecidas a qualquer estudante que possa se beneficiar delas ,tenha ou não uma deficiência.

  16. Jader Lopes says:

    Esclarecedor sua abordagem. Sou professora de AEE e sempre fico em dúvidas com os alunos que tem udo TDAH. É minha função atender esse aluno no AEE? Uma vez que ele tem perdas significativas na aprendizagem?

  17. Valdirene says:

    Parabéns Leandro!
    Adorei o artigo sobre reforço escolar, claro e objetivo, e principalmente ressaltando a importancia da convivência em grupo do aluno com necessidades especiais.

  18. Cristiane says:

    Muito apropriado esse texto. Sou professora AEE e percebo que ainda não sabem, nem coordenadoras nem professoras diferenças entre reforço escolar e trabalho do AEE.

  19. SANDRA AVELINA DOS SANTOS [aluno] says:

    Eu sou Sandra, Pedagoga e professora especialista em Educação Inclusiva e Diversidades. Trabalho como professora de Educação Especia.Eu também acredito que todos possam aprender além dos rótulos e preconceitos propostos por alguns professores. Infelizmente algumas escolas estão confundindo sala de AEE com sala de reforço. Cada criança tem o seu tempo e o seu ritmo de aprender. E como Educador temos que respeitá-lo. Eu acredito que ainda vamos ter uma Educação inclusiva de qualidade, onde todos terão os seus direitos e deficiências respeitadas .
    Abraços inclusivos

  20. ocilene says:

    BOM DIA!
    eu sou contra a equipe pedagógica da minha escola que sala do AEE é reforço,
    AEE NÃO É REFORÇO E SIM ONDE SÃO ATENDIDOS NOSSOS ALUNOS COM DEFICIÊNCIAS.

  21. Jusciel says:

    Achei contraditória!Trabalhamos com suplementação e complementação do currículo escolar!Mas a pergunta é? Como vou complementar e suplementar, senão com conteúdos que o professor está trabalhando, lógico, de uma forma diferenciada, mais acessível, considerando suas aptidões, estou errado?

  22. Maria Cecília Rocha Torres Braga says:

    Nossa, achei bem esclarecedora a dica da parceria entre o profissional do AEE e os demais colegas que atendem o aluno, assim como o seu acompanhamento do aluno em outras salas, aos qauis ele frequente.
    Parabéns pelo texto!
    Cecília Braga

  23. Débora Regina Mendes Peixoto says:

    Ótima explicação, pena que alguns gestores insistem que o AEE pode ser reforço, principalmente quando o aluno está dando algum tipo de “trabalho” na sala de aula, manda para o AEE, que ele melhora um pouco depois volta. Infelizmente acontece muito.

  24. Rosa says:

    Só poderemos realmente fazer a diferença na vida dos nossos alunos, quando primeiramente conhecê-los, quando as nossas primeiras aulas forem de aproximação real. Criar ambiente acolhedor para todos.
    Quando nossas crianças se sentirem seguras para se deixar descobrir.
    Cada criança é um MUNDO LINDO.
    Cada criança é ÚNICA e aprende de um jeito.
    AMO PEDAGOGIA
    AMO SALA DE AULA
    AMO A AGITAÇÃO QUANDO ELES ESTÃO APRENDENDO.

  25. Rúbia Ribeiro Batista says:

    Bom dia Leandro! Quero lhe agradecer. Você está me ajudando bastante. Fiz o Curso Adaptando Atividades, não perco uma live , participei também da jornada da Inclusão. E estou fazendo parte da Família Itard. Minha Rotina mudou e estou Super animada. Muito obrigada por esse trabalho Fantástico!

  26. Antonia do Nascimento P. Santos says:

    A importância de nos apropriarmos do conhecimento é muito relevante no desenvolvimento das nossas práticas educativa, visto que não vamos caminhar com os mesmos erros na inclusão de pessoas co Necessidades Educacionais Especiais.

  27. Silvia Bandeira says:

    Olá Leandro. Excelentes esclarecimentos, cada vez mais fico ansiosa por acompanhar suas postagens textos, vídeos, suas lives. Parabéns!!. Quero fazer parte da família ITARD !!!!!

  28. ivone.francisca.cruz says:

    Concordo plenamente com o escrito exposto,pois ainda há uma grande confusão a esse respeito. Na minha escola a sala de AEE não funciona pois, o professores que atuam não tem formação e nem são especialistas na área.
    Não se percebe evolução nós alunos que são atendidos por eles . O setor de educação não tem equipe multidisciplinar pedagógica e um caos. Muito triste !

  29. ml.andradesilva says:

    Se um aluno , chegou no 7º ano e ainda não completou sua alfabetização, dificuldade com cálculos com a leitura (só copia) como proceder no AEE com este tipo de aluno que estão dentro deste perfil em nosso país, tudo porque é mais fácil mandar adiante do que tentar alfabetizar. Como proceder enquanto AEE.

Deixe uma resposta para Marli Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *