O que o Boardmaker significa para mim? Depoimento de uma professora do AEE de Nova York

Melissa Stark é uma professora de educação especial no Departamento de Educação do Distrito 75 da cidade de Nova York. Ela ensina alunos com uma variedade de deficiências e perfis de comunicação em sala de aula e em casa. Melissa também apresentou um trabalho chamado “Tecnologia Aplicada aos Direitos de Comunicação de Todos os Estudantes”  na Sociedade Internacional de Tecnologia na Educação, na Filadélfia.

Legal né? Melissa trabalha comunicação com seus alunos utilizando o Boardmaker, para criação de pranchas de comunicação ampliada e alternativa.

“Acho que desde a infância eu sempre soube que estava destinada a me tornar uma professora, mas foi apenas quando estava na faculdade que eu realmente encontrei meu chamado: trabalhar com alunos com necessidades especiais significantes. Ainda me lembro de estar sentada durante uma aula de comunicação na faculdade sem sequer saber o que autismo era. Isso foi há muito tempo atrás”  – Melissa

Melissa afirma que, como professora, passa seus dias imaginando como fazer a vida de seus alunos, famílias e equipe de apoio, mais fáceis e enriquecidas. Desde quando era assistente de professor até seus dias como Professora de Educação Especial e Gerenciadora de Deficiências, uma das suas maiores ferramentas de troca sempre tem sido o Boardmaker. A razão é simples… todos merecem uma voz. Todos merecem ser ouvidos. O Boardmaker coloca isso na palma da sua mão.

“Eu ainda me lembro do meu primeiro CD do Boardmaker. Acho que apaguei alguns dos sinais. Não era muito boa, mas queria que meus alunos tivessem imagens para ajudar na comunicação. Um dos equívocos mais comuns sobre o Boardmaker é que as imagens são apenas desenhos em linhas. Eu amo a possibilidade de customizar as cores, formatos, tamanhos, e imagens para cada aluno. Eu fiz calendários para meus alunos, etiquetas para as salas de aula e paredes de palavras. Foi como se um universo completamente novo se abrisse.” – Melissa

Melissa também conta que o Boardmaker funciona até em relacionamentos pessoais: “quando quis ficar noiva eu fiz um calendário visual para meu marido. E menos de seis meses depois nós estávamos noivos, e agora estamos casados. Comunicação arrasa!”.

O Boardmaker evoluiu muito ao longo dos anos. Agora existe a versão online do programa, mas apenas em inglês.

Ela diz que agora pode usar atividades interativas online com seus alunos (fazendo referencia a versão online do Boardmaker, somente em inglês), checar as metas do PDI (Plano de Desenvolvimento Individual), e também compartilhar recursos com colegas e pessoas que eu nem conhece, mas que ensinaram coisas novas. Seus alunos aprenderam a ler e escrever usando as adaptações e suportes visuais que ela faz para eles usando Boardmaker.

Se você tivesse me perguntado anos atrás se eu estaria onde estou hoje eu provavelmente teria dito “não!”, mas hoje sou tão grata por ter tido o Boardmaker ao meu lado na caminhada! – Melissa

E você? Está interessado em aprender e utilizar mais o boardmaker no seu dia a dia na escola? Baixe nosso Guia Básico do Boardmaker e saiba como baixar esse programa e fazer sua primeira prancha de comunicação alternativa.

 

Tradução: Sarah Bezerra
Adaptação: Leandro Rodrigues

Adaptado do original em inglês, disponível em: https://goboardmaker.com/blogs/news/what-boardmaker-means-to-me

Leandro Rodrigues

Professor nos cursos do Instituto Itard, especializado em Educação, Diversidade e Inclusão Social, com foco em Tecnologias Assistivas e Comunicação Alternativa. A equipe do Instituto Itard é formada por professores, tutores e consultores especializados em educação especial e educação inclusiva.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *