Comunicação Alternativa: sim ou não?

Seu aluno fala? Seu aluno entende o que você fala? Problemas de comunicação são muito comuns e atrapalham o desenvolvimento de várias formas diferentes. Identifique se o seu aluno precisa ou não utilizar comunicação alternativa ou suplementar e saiba por onde começar.

Você sabia? 8 a cada 1000 pessoas no mundo não conseguem usar a fala para se comunicar. Apenas cerca de 5% delas recebem em algum momento um dispositivo de comunicação.

Comunicação alternativa refere-se a:

A área da tecnologia assistiva que se destina especificamente à ampliação de habilidades de comunicação é denominada de Comunicação Alternativa (CA). A comunicação alternativa destina-se a pessoas sem fala ou sem escrita funcional ou em defasagem entre sua necessidade comunicativa e sua habilidade de falar e/ou escrever. – Assistiva

 

Para quem é a Comunicação Alternativa e Ampliada?

Para pessoas de todas as idades a partir do nascimento.

Para pessoas com diferentes diagnósticos: autismo, paralisia cerebral, Síndrome de Rett, Síndrome de Down, outras síndromes e condições relacionadas.

Para pessoas de diferentes habilidades físicas e sensoriais

O grande problema é que essas pessoas as vezes não são consideradas para utilizar comunicação alternativa ou ampliada porque:

não tem as habilidades cognitivas necessárias
só sabem dizer poucas palavras
as outras pessoas já sabem o que elas querem
precisam comprovar suas habilidades antes que tenham chance de aprender usar CAA

Porém esses são MITOS. 

Não existe pré requisito de habilidades cognitivas, ou de vocabulário, ou necessidade de comprovar habilidades. Todos devem ter a oportunidade de se expressar.

Todas as pessoas, independentemente da extensão ou gravidade de suas deficiências, têm o direito básico de fazer diferença, por meio da comunicação, nas condições de sua própria existência. – American Speech and Hearing Association

Como ter certeza que meu aluno possui necessidade de utilizar CAA?

Existe um teste de efetividade de comunicação que pode ser realizado rapidamente com seu aluno. Esse teste foi desenvolvido pelos especialistas da Tobii, uma empresa sueca de alta tecnologia que desenvolve e vende produtos de comunicação alternativa e tecnologia assistiva.

Se você conhece alguém com dificuldade para se comunicar, a lista a seguir pode ajudá-lo a considerar o uso de ferramentas auxiliares de comunicação

Você pode utilizar este teste de formas diferentes :

Responda sozinho a este teste e depois discuta seu resultado com a pessoa indicada (ex.,médico, fonoaudiólogo, educador, etc.).

Peça que cada membro da equipe (ex., fonoaudiólogo, família, educadores, etc) responda individualmente as questões e, em seguida, discuta em grupo.

1. O indivíduo tem algum diagnóstico/dificuldade que interfere na fala? (ex., autismo, PC, afasia, ELA, etc.) Sim ou Não?

2. O indivíduo tem um repertório inferior a 20 palavras que podem ser compreendidas por ouvintes não familiarizados ou desconhecidos? Sim ou Não?

3. O indivíduo tem dificuldade em expressar suas ideias? (ex., pedir um objeto, contar uma estória, expressar uma ideia)?  Sim ou Não?

4. Há dificuldade em satisfazer as necessidades básicas do indivíduo? Sim ou Não?

5. O indivíduo tenta se comunicar verbalmente, mas suas tentativas são incompreendidas pela maioria dos ouvintes? (ex.., apraxia, disartria)? Sim ou Não?

6. O indivíduo fica frustrado e mostra comportamento inadequado quando não consegue se comunicar? Sim ou Não?

7. O indivíduo mostra interesse em interagir socialmente, porém não possui habilidades verbais? Sim ou Não?

8. O indivíduo tem dificuldade em iniciar uma interação com outras pessoas? Sim ou Não?

9. O indivíduo faz uso de objetos, fotografias ou símbolos PCS, mas precisa de instrumentos para aumentar suas funções de linguagem? Sim ou Não?

10. O indivíduo apresenta regressão em seu desenvolvimento linguístico ou em seu nível anterior de comunicação?Sim ou Não?

11. O SIM ou NÃO do indivíduo não são respostas confiáveis? Sim ou Não?

12. O indivíduo encontra dificuldade em participar de conversas com pessoas em situação semelhante? Sim ou Não?

13. O indivíduo recebe ajuda de um familiar para se comunicar apropriadamente? Sim ou Não?

14. O indivíduo não se comunica verbalmente, mas consegue se comunicar através de expressões faciais, linguagem corporal, gestos e comportamentos? Sim ou Não?

15. O uso de imagens aumenta a compreensão e a comunicação? Sim ou Não?

16. É difícil para o indivíduo participar de atividades diárias importantes? (ex., atividades em sala de aula, trabalho, laser)? Sim ou Não?

Se você respondeu SIM 5 ou mais vezes, o aluno pode ser um candidato ao uso da comunicação alternativa.

Será mesmo? Será que Comunicação Alternativa irá ajudar? Saiba que 89% das pessoas que usam CAA aumentam seu vocabulário.

Ok Leandro, meu aluno precisa de comunicação alternativa, e agora?

Como programador, em Comunicação Alternativa minha principal missão é ajudar professores do AEE, psicopedagogos, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais a conhecerem e utilizarem as melhores ferramentas para seus alunos e pacientes.

Com as ferramentas certas, seu aluno poderá ser alfabetizado, ter acesso à conteúdos complexos de português e matemática, poderá cursar uma faculdade e se tornar um ótimo profissional. Na área de programação é muito comum termos programadores cegos ou programadores autistas, por exemplo.

No final das contas, o grande desafio é estabelecer uma comunicação efetiva.

Para isso contamos com recursos de alta e baixa tecnologia.

Recursos de baixa tecnologia

Pranchas de papel, calendários, fichários, cartões e etc. Resumindo, tudo o que você pode confeccionar aí mesmo na sua escola, com papel, caneta, cartolina, cola e tesoura.


Exemplo de Pranchas de comunicação alternativa


Exemplo de Fichário de comunicação alternativa

Recursos de alta tecnologia

Comunicadores, tablets, computadores e smartphones com aplicativos como Boardmaker, Snap+CoreFirst, LetMeTalk e muito mais.

acessibilidade no computador

O Boardmaker é uma excelente opção e foi distribuído pelo Governo Federal nas salas de recursos multifuncionais (SRM) tipo I e II, mas infelizmente nem todos os municípios têm acesso e seu custo de aquisição é alto.

Gravei uma aula gratuita sobre Boardmaker e convido você a assistir: https://institutoitard.com.br/produto/aula-de-boardmaker-como-criar-sua-primeira-prancha-de-caa-aula-gratis/

Nessa aula ensino a você como criar sua primeira prancha de comunicação alternativa ampliada, ou cartões de comunicação alternativa para imprimir, de uma maneira fácil, rápida e gratuita.

Corre lá a assiste.

Outro recurso é o programa SNAP + Core First é um dos melhores programas de comunicação alternativa e que utiliza a estratégia das palavras-chave primeiro. Ele está disponível para iPhone, IPad ou Windows. Seu custo é relativamente acessível (em torno de R$150,00, somente o programa). Ele também está disponível junto com o dispositivo oficial do programa, o INDI, que é esse tablet da foto acima. O principal representante desse programa no Brasil é o grupo CIVIAM, em São Paulo. O site é http://civiam.com.br/

Quando o aluno não possui habilidade motora para utilizar o recurso de touch screen (tocar na tela) ou o mouse do computador, podem ser utilizados adaptações especiais de tecnologia assistiva, como acionadores ou dispositivos de varredura ocular.

Como iniciar um trabalho de Comunicação Alternativa?

Eu gosto de utilizar o Inventário Portage Operacionalizado e ensino como trabalhar com ele em meu e-book Como Adaptar Atividades para Alunos com Deficiência.

Observe esses três comportamentos da área de linguagem (portage), comuns na idade de um a dois anos:

Nomeia 5 membros da família, incluindo animais.
Diz 5 palavras diferentes.
Produz sons de animais, ou os nomeia pelo som

Uma criança aos dois anos, normalmente, nomeia até cinco membros da sua família (ex: mamãe, papai, vovó, vovô e tia). Se a criança possui comprometimento para falar, por exemplo uma paralisia cerebral, esse comportamento deverá ser estimulado utilizando comunicação alternativa, já que a fala será impossível, como foi provavelmente comprovado por médicos e exames.

Mas se e a criança não fala por causa desconhecida ou porque é autista? Esse comportamento deve ser estimulado também. A comunicação alternativa é sempre bem-vinda.

Baixe o e-book gratuito, aplique o Portage, veja os comportamentos que seu aluno já desenvolveu na área de linguagem e saiba quais os comportamentos você deve estimular em seguida.

Abraço,

Leandro Rodrigues

Referências

VAN TATENHOVE, G. M. (2009). Building Language Competence With Students Using AAC Devices: Six Challenges. Perspectives on Augmentative and Alternative Communication, 18(2), 38–47.

WILLIAMS, Lúcia Cavalcanti de Albuquerque. Manual do Inventário Portage Operacionalizado: avaliação do desenvolvimento de crianças de 0-6 anos. Curitiba: Juruá, 2018

WILLIAMS, L. C. de A. e AIELLO, A. L. R. O inventário Portage Operacionalizado: intervenção com Família. São Paulo: Memnon, 2001

ZANGARI, C., and Paiva, S. (2012). Look Who’s Talking: A Curricular Approach to Core Language Instruction for Prekindergarten Children with AAC Needs. Presented at ISAAC 2012.

 

 

 

 

Leandro Rodrigues

Professor nos cursos do Instituto Itard, especializado em Educação, Diversidade e Inclusão Social, com foco em Tecnologias Assistivas e Comunicação Alternativa. A equipe do Instituto Itard é formada por professores, tutores e consultores especializados em educação especial e educação inclusiva.



2 thoughts on “Comunicação Alternativa: sim ou não?

  1. Maria Lúcia Costa says:

    Bom dia! Muito legal seu material. Gostaria de incluir – Mutismo seletivo, no uso de CA…

    Obs.: Na questão 16 há um engano ortográfico. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *